Acho que não há modo melhor de começar os conteúdos deste site do que com a minha música favorita, da minha banda favorita .

Coincidentemente, o Avenged Sevelfold lançou recentemente um vídeo de “Breakdown” sobre a música “Save Me”, onde M. Shadows e Synyster Gates analisam e contam um pouco sobre a criação desta obra.

Para quem não entende inglês, resolvi contar um pouco sobre o vídeo, e ainda compartilhar minhas impressões sobre a música que, para mim, é uma das maiores criações da banda ao falarmos de técnica e sonoridade.

Save Me faz parte do álbum Nightmate, lançado em 2010, e é uma música longa, cheia de altos e baixos que surpreendem o ouvinte durante os quase 11 minutos de áudio.

M. Shadows assumiu que a música, no começo, não passava de uma bagunça de ideias. Antes de falecer, The Rev escreveu a maior parte da obra, mas a estrutura da música ainda não estava organizada, e que infelizmente não pode ser executada pelo músico. A introdução, por exemplo, surgiu de um arranjo que era tocado ao vivo nas turnês do álbum autoral Avenged Sevelfold, em 2007, e foi reutilizada na canção pelo baterista. M. garante que o som pode ter sido inspirado na música Blind da banda Korn.

O guitarrista Synyster Gates descreveu a sonoridade das guitarras no início de Save Me como “estranhas”, pois o ar gótico cheio de detalhes nunca havia sido feito em duos harmônicos de guitarra. Enquanto isso, é possível ouvir vozes sintéticas em coro ao fundo, que foram criadas no teclado.

O teclado continua a ser explorado, logo em seguida, com uma técnica que simula o pizzicato,que significa basicamente “beliscar” as cordas de um instrumento de corda. Diversas faixas, em diferentes oitavas. O piano forma uma dupla imbatível com o solo de guitarra que pode ser ouvido ao mesmo tempo.

Em seguida, já podemos ouvir a voz de M. Shadows, em uma harmônia sobreposta que parece estar seguindo a voz principal – mais uma criação de Jimmy Sullivan (The Rev). A vozes que entram sussurrando “they all know” foram originalmente gravadas pelo baterista, mas tiveram que ser regravadas pelo cantor pois ninguém conseguiu desvendar a letra que estava sendo pronunciada! Toda a parte vocal da música, escrita por Jimmy, chegou a confundir os outros músicos da banda, que pensavam: como vamos cantar todas essas notas?

Outra curiosidade que os músicos compartilham no vídeo é que o verso “we only only wake up when we sleep” foi mantido na versão do álbum, pois foi exatamente assim que The Rev o escreveu. No verso “lost out way tonight” podemos ouvir uma sobreposição incrível de vozes em diversas tonalidades e tempos, soando como uma verdadeira ópera.

Na demo, o refrão original, na verdade, era a última estrofe, que diz “tonight we all die young”. Mas a banda achou que aquilo não funcionava como refrão, e se inspiraram na música Photograph do Def Leppart para a sonoridade do verso “save me”, que também trabalhou sobreposição de vozes. Synyster ainda brinca com as referências do período barroco podem ser ouvidas: “Fucking thanks Bach”.

A música é tão (lindamente) longa que o vídeo de Breakdown foi dividido em duas partes.

Antes do solo de guitarra podemos ouvir a levada da bateria mudar totalmente. O vocalista M. Shadows comenta que acha brilhante a forma como Jimmy pensou nisso.

O solo é extremamente detalhado e rico. Syn “odiava” tocá-lo no começo, pois foi difícil de aprender. Logo ouvimos a voz utilizando uma técnica de movimento em contraponto. Em seguida a guitarra começa a se “preparar” para o que está por vir, soando mais tranquila.

Em 6:23 minutos de música, ouvimos uma deliciosa mudança, lembrando até a sonoridade de Dream Theater, com o interessante trabalho que Mike Portnoy trouxe para a bateria. Shadows comenta como a ponte, que vem a seguir, é triste, ao pensarmos que foi escrita por Jimmy, e finalizada com letras que falam sobre a morte do mesmo, o que foi inesperadamente trágico.

As vozes sintéticas sobrepostas feitas no teclado podem ser ouvidas novamente, também com forte referência ao Dream Theater.

No vídeo, quando a obra está perto do fim, Matt brinca: “e agora, (como se a música não estivesse longa o suficiente!) decidimos colocar o refrão que Jimmy escreveu”. Pessoalmente, acredito que a música não poderia ser finalizada de uma forma melhor.

Amo analisar cada detalhe de uma música, mas para mim essa foi especial, pois além de ser uma composição impressionante, foi uma das últimas de Jimmy Sullivan, que deixou sua marca eterna no mundo da música.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s